Domingo, 26 de Junho de 2022
19°

Chuva

Magé - RJ

Anúncio
Saúde Paraná

Profissionais são capacitados para manutenção da qualidade nas transfusões de sangue

Profissionais de hospitais públicos e particulares atendidos pela rede Hemepar e que atuam no processo transfusional – desde a captação de doadores...

23/06/2022 às 17h45
Por: Redação Fonte: Secom Paraná
Compartilhe:
Foto: SESA/HEMEPAR
Foto: SESA/HEMEPAR

Profissionais de hospitais públicos e particulares atendidos pela rede Hemepar e que atuam no processo transfusional – desde a captação de doadores até a transfusão de hemocomponentes –, nas Regionais de Saúde de Cascavel e Toledo (10ª e 20ª), participaram da Oficina de Qualificação do ato Transfusional e Hemovigilância. A capacitação iniciada na terça (21) e que terminou nesta quinta-feira (23), teve como objetivo aperfeiçoar os procedimentos transfusionais nos hospitais, mantendo a segurança e a qualidade no atendimento aos pacientes.

De acordo com o secretário de Saúde, César Neves, a Sesa, por meio da rede Hemepar, vem implementando estratégias com a objetivo de aprimorar os serviços de hemoterapia.

“Estamos em busca do aperfeiçoamento da qualidade na assistência prestada a todos os usuários dos serviços hematológicos e hemoterápicos no Paraná. Essa oficina permite estreitar a parceria entre os hospitais e a rede, gerando melhorias técnicas e gerenciais em todas as especialidades médicas”, disse Neves.

De acordo com a diretora do Hemepar, Liana Labres de Souza, o ciclo do sangue é um processo que inclui todos os procedimentos técnicos, desde a captação, seleção e qualificação do doador, processamento, armazenamento, exames de triagem sorológica e imunohematológica, transporte e distribuição dos hemocomponentes, dos procedimentos pré-transfusionais e do ato transfusional.

“A ampliação da hemovigilância a todas essas etapas se justifica pela importância que a ocorrência de não conformidades ou eventos adversos pode ter na qualidade do sangue e na segurança do doador ou receptor. Portanto, aprimorar os conhecimentos nesta área é de fundamental para a manutenção de processos seguros na assistência ao paciente”, explicou.

A oficina, que contou com a participação de 80 profissionais médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem que vão atuar como multiplicadores nas instituições às quais pertencem, foi coordenada pelo Hemocentro Regional (HR) de Cascavel, com apoio da Hemorrede (HN Francisco Beltrão, HN Apucarana, HN Umuarama, HC Curitiba, HR Guarapuava e Vigilância Sanitária da 3ª RS – Ponta Grossa).

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.