Quarta, 18 de Maio de 2022
0000000000
Segurança Ceará

Colaboradores da Supesp realizam visita técnica à sede da Ciopaer da SSPDS em Fortaleza

Cumpindo a agenda comemorativa pelo aniversário de quatro anos, os colaboradores da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública ...

13/05/2022 15h40
17
Por: Redação Fonte: Secom Ceará
Foto: Reprodução/Secom Ceará
Foto: Reprodução/Secom Ceará

Cumpindo a agenda comemorativa pelo aniversário de quatro anos, os colaboradores da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp) participaram, na tarde dessa quinta-feira (12), de uma visita técnica à sede da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), supervisionada e recepcionada pelo tenente-coronel Emerson Vasconcelos Bastos. Acompanhados pelo superintendente, Helano Matos, os colaboradores assistiram a uma apresentação realizada pelo oficial, onde foram esclarecidas qual a missão da instituição, suas operações e como atuam, além de uma visita ao pátio para conhecer as aeronaves de uma das grandes unidades especializadas da segurança pública no Ceará.

Para o tenente-coronel Emerson Bastos, uma das mais fáceis definições do que representa a Ciopaer é ser o apoio aéreo na segurança pública do estado. Na realidade, o conceito veio para tentar explicar o grande alcance e a importância da coordenadoria dentro das Forças de Segurança.“Nós achamos curioso esse entendimento por parte da população, como se fôssemos uma parte autônoma do processo e nós fazemos parte dessa grande estrutura como a Polícia Militar, a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros”, enfatizou Bastos.

Foto: Reprodução/Secom Ceará
Foto: Reprodução/Secom Ceará

O oficial relatou ainda sobre histórias protagonizadas pela Ciopaer e como esse serviço salvou a vida de tantos cearenses, como por exemplo, quando uma senhora de mais de 80 anos foi salva após perder a orientação numa área de mata. “Ela disse que rezou muito para os anjos salvarem a vida dela. Esse depoimento nos marcou e emocionou muito”, disse o tenente-coronel.

Segundo o superintendente da Supesp, Helano Matos, essa visita é muito necessária, porque a Supesp é formada por um corpo técnico muito qualificado, com mestrado, doutorado, especializações em suas respectivas áreas, mas muitos não tem contato e nunca conheceram de perto como funciona uma força de segurança especializada como a Ciopaer. Na ocasião, também foram mostradas dicas para evitar acidentes no momento em que uma aeronave aterrissa para fazer um salvamento, além de serem repassados detalhes sobre tempo de atendimento de uma ocorrência e os tipos de aeronaves para cada operação.

História

A unidade aérea foi criada a partir do Grupamento de Policiamento Aéreo (GPAer) da Polícia Militar do Ceará (PMCE), em 1995, e nasceu para desempenhar funções de apoio a operações policiais, patrulhamento aéreo, resgates, transportes aeromédicos, transporte de pessoal, apoio às ações de defesa civil, transporte de órgãos e tecidos humanos para transplante, monitoramento ambiental e de recursos hídricos, geração de imagens para fins de segurança pública e institucionais, entre outras atividades. Em 2001, o GPAer passou a adotar o nome de Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) e uniu os serviços operacionais de policiais civis e bombeiros militares no planejamento e execução das missões.

Hoje, aos 26 anos, a Ciopaer é a maior unidade de aviação estadual do Norte/Nordeste, sendo considerada a maior operadora de aeronaves biturbina e homologadas para voo por instrumentos entre os órgãos estaduais brasileiros. Ela também é considerada como a operadora com serviço aeromédico público mais bem executado do País. São cinco bases fixas, instaladas em Fortaleza, em Crateús, em Juazeiro do Norte, em Sobral e em Quixadá.
A coordenadoria dispõe de dez aeronaves, sendo nove helicópteros (um EC130 B4, dois AS350B2 esquilo, três Airbus EC135 e três EC145) e um avião modelo Cessna 210.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.