Quarta, 18 de Maio de 2022
0000000000
Segurança Ceará

Mais quatro pessoas são presas na “Operação Guilhotina” deflagrada pela Polícia Civil

Em mais uma fase da “Operação Guilhotina”, a Polícia Civil do Ceará (PC-CE) prendeu mais quatro pessoas, todas elas, alvo dos trabalhos policiais. ...

11/05/2022 17h30
20
Por: Redação Fonte: Secom Ceará
Foto: Reprodução/Secom Ceará
Foto: Reprodução/Secom Ceará

Em mais uma fase da “Operação Guilhotina”, a Polícia Civil do Ceará (PC-CE) prendeu mais quatro pessoas, todas elas, alvo dos trabalhos policiais. O grupo, que estava com mandados em aberto por integrar organização criminosa, foi preso por equipes da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), na manhã desta quarta-feira (11), em diversos bairros da capital e em Chorozinho. Além das capturas, um mandado de prisão foi cumprido em desfavor de um homem que já se encontra recolhido em uma unidade prisional, já outros nove mandados de buscas e apreensão também foram cumpridos durante as ofensivas policiais.

Com foco em desarticular grupos criminosos com atuação na comercialização de drogas em Fortaleza, a PC-CE deflagrou mais uma fase da “Operação Guilhotina”. Desta vez, quatro pessoas foram capturadas por forças de mandados de prisões preventivas pelo crime de integrar organização criminosa. Os presos foram identificados como Marcos Paulo Mendes de Souza (33), com antecedentes criminais por associação criminosa, porte ilegal de arma de fogo e receptação; Maria Emília da Silva (51), com passagens por tráfico de drogas; Luana Alves Mota (30), com antecedentes criminais pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo e roubo, todos esses presos em Fortaleza.

Já Rosilene Almeida Bezerra (32), com antecedentes criminais por tráfico de drogas, integrar organização criminosa, ameaça, desacato e receptação, foi presa no município de Chorozinho. Ainda durante a ofensiva, nove mandados de busca e apreensão foram cumpridos e resultaram na apreensão de vários celulares, que passarão por análises com o foco em identificar outros envolvidos diretamente neste grupo.

Mandado cumprido em unidade prisional

Foto: Reprodução/Secom Ceará
Foto: Reprodução/Secom Ceará

Uma equipe da Polícia Civil também cumpriu um mandado de prisão preventiva em desfavor de Luis Paulo Batista da Silva, vulgo “Galo”, de 33 anos. Preso ano passado por equipes da Draco. Contra “Galo” existia uma decisão judicial em aberto pelo crime de integrar organização criminosa. Ainda com base nas informações policiais, “Galo” ocupava uma posição de chefia de um grupo criminoso com atuação no bairro Bom Jardim (AIS 2) de Fortaleza. No curso das investigações, foi identificado que ele era o principal responsável na distribuição de drogas e ordenar crimes de homicídio no Grande Bom Jardim.

Operação Guilhotina

A guilhotina é a referência de corte para a operação desenvolvida pela Draco, que tem como objetivo tirar de circulação e enfraquecer os criminosos apontados como chefes de um coletivo criminoso atuante no Ceará. As investigações iniciaram em junho de 2020, após circular, em aplicativo de mensagens, informações sobre o domínio de um grupo criminoso em alguns bairros de Fortaleza.

Foto: Reprodução/Secom Ceará
Foto: Reprodução/Secom Ceará

Denúncias

Para combater a atuação de grupos criminosos no Estado, a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) conta com a participação da população para repassar informações que auxiliem os trabalhos investigativos. Por isso, a unidade especializada da Polícia Civil do Ceará mantém um número de WhatsApp para receber denúncias de ações criminosas em todo o Estado. A população pode enviar mensagens de texto, áudios, fotos e vídeos para o número (85) 98969-0182.

As denúncias também podem ser feitas, por meio de ligação gratuita, para o 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). O sigilo e o anonimato são garantidos.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.